Muitas pessoas estão expostas ao excesso de calor no trabalho, ao ar livre ou em ambientes internos quentes. As operações que envolvem altas temperaturas do ar, fontes de radiação de calor, contato físico direto com objetos quentes ou atividades físicas extenuantes têm um alto potencial para causar doenças relacionadas ao calor. Locais de trabalho com estas condições podem incluir fundição de ferro e aço, fundições de não ferrosos, olarias e plantas de cerâmica, produtos de borracha, utilitários elétricos (particularmente caldeiras), túneis de vapor, entre tantas áreas da indústria.

No post de hoje vamos tratar de alguns dos problemas causados por estas condições e como eliminar estes efeitos. Acompanhe!

Problemas respiratórios

Com a baixa umidade do ar, normalmente provocada pelo excesso de calor, há grandes dificuldades de dispersão dos poluentes, que acabam sendo inalados e provocam vários problemas respiratórios e, consequentemente, infecções aos trabalhadores. Com a baixa umidade, as vias aéreas são fortemente atacadas, facilitando então a entrada dos vírus e bactérias.

Perca de produtividade da equipe

Com o excesso de calor, o trabalhador tende a ser dominado pela fadiga extrema, debilidade, náuseas, dor de cabeça e até desmaio em casos mais extremos, provocando inclusive, um grande número de atestados médicos e acidentes de trabalho. O calor tende a manter a equipe mais sonolenta e, no melhor dos casos, os funcionários precisam estar fazendo constantes pausas para beber água ou se refrescar em outros ambientes. Todas estas situações colaboram para a baixa produtividade da equipe.

Câimbras

A perda de sais minerais no organismo pode ocasionar intensas dores musculares na pessoa. Dessa forma, como consequência do excesso de calor, câimbras poderão surgir durante o turno de trabalho ou mesmo depois, após várias horas do final do expediente.

Conjuntivite

O excesso de calor torna o ar mais seco, assim, o filme lacrimal, uma fina camada de água que recobre os olhos, acaba por se evaporar muito rápido, provocando coceiras e elevando os riscos com contaminação dos olhos do trabalhador.

Desidratação

A desidratação ocorre quando há eliminação de água pelo corpo em um ritmo maior do que o volume ingerido. O organismo, mesmo em condições normais, está sempre eliminando água por meio do suor, lágrimas, urina e fezes. Para manter o equilíbrio, a pessoa precisa se manter hidratada, consumindo muita água. Em condições de excesso de calor, é comum não haver uma correta reposição adequada de líquidos, causando assim a desidratação.

Exaustão pelo calor

Exaustão pelo calor é a resposta do corpo a uma perda excessiva de água e sal, geralmente por meio de transpiração excessiva. Trabalhadores mais propensos à exaustão pelo calor são aqueles que são idosos, têm pressão arterial elevada e aqueles que trabalham em ambientes muito quentes.

Driblando o excesso de calor

Como tratamos acima, uma das principais características do excesso de calor é a falta de umidade do ar. Assim, somam-se dois problemas de uma só vez, ocasionando diversos problemas juntos.

Uma boa solução é apostar na climatização evaporativa, que auxilia na baixa da temperatura, além de umidificar o ar, tornando mais confortável a relação com o calor.

A climatização evaporativa trabalha com a troca de ar do ambiente, uma vez que o ar externo normalmente mantém temperaturas mais baixas e com maiores taxas de oxigenação. Após a troca, o ar é tratado e injetado novamente no ambiente, garantindo um ar sempre renovado.

O que achou do nosso post de hoje? Deixe um comentário, conte-nos sua opinião e mande outras dúvidas mais que você tenha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *