Nas indústrias, é muito comum encontrarmos um setor denominado PCP. Seu significado é Planejamento e Controle de Produção, e ele está inserido nas indústrias de transformação, de bens de capital e nas montadoras.

Normalmente, os PCPs utilizam a ferramenta de qualidade conhecida como 5W 1H, cujo objetivo é responder às seguintes perguntas relacionadas a um produto intermediário ou a um produto final:

  • What (O que será feito?)
  • When (Quando será feito?)
  • Where (Onde será feito?)
  • Why (Por que será feito?)
  • Who (Quem o fará?)
  • How (Como será feito?)

Para responder a essas perguntas, o PCP precisa ter uma visão de todo o mapa fabril, com dados relacionados aos equipamentos disponíveis, às manutenções previstas, aos recursos humanos a serem alocados, às quantidades em estoque, à demanda prevista e aos insumos disponíveis.

No post de hoje, você encontrará informações importantes de como fazer um planejamento e controle de produção em sua indústria. Continue acompanhando!

Filosofia da indústria

O primeiro passo é definir qual filosofia de produção sua indústria quer seguir. Há duas linhas muito utilizadas atualmente:

Produção “puxada”

Ocorre quando a produção é efetuada após um pedido de venda – ou seja, a produção somente é executada com um pedido de venda registrado na carteira.

Produção “empurrada”

Acontece quando a produção é realizada antes da existência de um pedido. Também conhecida como produção para estoque – ou seja, o produto é produzido mesmo que ainda não haja um pedido de venda para o mesmo.

A forma como a indústria optará por sua produção está ligada ao seu modelo de negócio. O importante é seguir uma linha que não sobrecarregue seus estoques, não aumente seu custo e nem sacrifique seu resultado operacional.

Planejamento da produção

A primeira letra do PCP significa Planejamento. Qualquer que seja a filosofia empregada, a indústria tem que operar potencializando seus ativos. Os roteiros de produção precisam estar documentados e disponíveis para todos os envolvidos na sequência produtiva.

Independentemente de como a produção foi feita – a partir da entrada de pedidos ou a partir de uma perspectiva de demanda –, existe uma necessidade de produção que precisa ser realizada. Cabe ao PCP avaliar essa exigência e fazer o sequenciamento da produção levando em consideração todas as variáveis do chão de fábrica.

Quando falamos em variáveis de chão de fábrica, estamos nos referindo a toda uma complexidade fabril que varia de indústria para indústria. As respostas ao 5W 1H devem ser dadas levando em consideração os equipamentos disponíveis, a eficiência e as paradas destes equipamentos, e ao pessoal envolvido. Devem ser avaliados, também, os estoques dos produtos intermediários e das matérias primas comprometidas na fabricação do produto.

O sincronismo da produção também precisa ser analisado, pois um produto intermediário feito em um setor pode ser uma matéria prima de outro setor. O tempo gasto para cada tarefa também é uma variável para ser monitorada.

Existem softwares específicos e disponíveis no mercado que analisam a carteira de pedidos, com as exigências de prazos de entrega, compatibilizando com toda a infraestrutura fabril.

Esses sistemas geram as ordens de produção que devem ser seguidas pelo pessoal operacional. Alguns sistemas informam o momento que o produto ficará pronto, desde que seguidas todas as diretrizes que foram definidas e que, também, não ocorram incidentes que interfiram na produção.

Controle da produção

Para que se tenha um acompanhamento de toda a cadeia, é necessário que, durante todo o processo, haja um apontado da produção. Para que isso ocorra, tudo deve ser codificado, os equipamentos monitorados e os tempos de execução cronometrados.

Esse apontamento pode ser feito por meio de digitação, mas o ideal é que seja automático. As máquinas modernas possuem dispositivos que podem ser conectados a uma rede local de computadores, possibilitando uma coleta automatizada dos dados.

O controle de qualidade deve estar presente em toda a linha de produção, registrando os responsáveis por cada etapa, o que é essencial para um eventual de rastreamento no futuro.

É importante que todos os dados das características dos produtos sejam também armazenados. A origem das matérias primas, os lotes de cada material, a composição das peças, tudo deve ser mantido nas bases de dados da companhia.

Cada indústria, dependendo de sua finalidade, possui particularidades que exigem novos controles. As indústrias farmacêutica, alimentícia e de bebidas, por exemplo, têm que controlar também os prazos de validade de produtos, insumos e matérias primas. Esses mesmos fatores não são tão relevantes para outras grandes indústrias.

Outro caso que podemos mencionar é o da indústria têxtil. Como se trata de uma indústria de transformação, o sequenciamento é mais relevante.

Acontece que muitos fatores podem influenciar na qualidade do produto final, que é o tecido acabado. As características do algodão, a umidade do ambiente, a qualidade dos produtos químicos e até a temperatura do galpão podem provocar distorções que determinem um reprocesso.

Se um tecido amarelo ficou com manchas, por exemplo, a decisão seria reprocessar, passando-o novamente na máquina de tingir, produzindo um tecido com uma cor mais escura. O retrabalho interferirá em todas as demais ordens de produção, uma vez que não havia sido previsto inicialmente.

Com isso, toda a programação de produção tem que ser recalculada trazendo consequências para todo o planejamento feito anteriormente. Nessa situação exemplificada, o sistema referenciado acima precisa ser novamente sincronizado, pois as ordens de produção serão modificadas.

Ganhos com o planejamento e controle de produção

Executando um bom planejamento e controle de produção, vários ganhos podem ser obtidos. Entre eles, podemos citar:

  • informar ao cliente quando o seu produto ficará pronto;
  • minimizar a geração de estoques intermediários e de produtos finais;
  • programar uma logística de entrega com antecedência;
  • possuir as informações relevantes de seus produtos obtidas em tempo real;
  • possibilitar o rastreamento de todo o processo produtivo;
  • avaliar a ocorrência de gargalos na produção;
  • otimizar a utilização dos equipamentos produtivos, entre outros.

A cada dia, as empresas estão mais interligadas e as cadeias de suprimento estão se sofisticando. Uma fábrica tem que produzir determinada peça que será insumo na produção em outra planta fabril. Prazos, qualidade e custos são imprescindíveis para que se mantenha um encadeamento entre clientes e fornecedores.

Sem que se tenha um bom planejamento e controle de produção, ligado a um modelo de sequenciamento de ordens de trabalho, é cada vez mais difícil se manter ativo em um cenário tão competitivo – em casos extremos, a sobrevivência da empresa é posta à prova.

Com as dicas de hoje, você certamente otimizará o planejamento e aumentará a produtividade em sua indústria! Agora que você já tem algumas informações sobre planejamento e controle de produção, deixe suas dúvidas e opiniões nos comentários!

 

3 Comentários em “Planejamento e controle de produção: como fazê-lo na indústria?”

  1. It’s actually very difficult in this active life to listen news on Television, so I simply use web for that reason, and obtain the newest information.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *