Em um país de clima quente como o Brasil, a necessidade de aparelhos de climatização é uma realidade comum a praticamente todo o território, e durante o ano todo. E de certa forma, até por conta dessa utilização constante de aparelhos de climatização, o brasileiro conhece um pouco sobre o assunto.

Ainda assim, na hora de espantar o calor e melhorar a qualidade do ar, é normal que surjam algumas dúvidas sobre os equipamentos mais indicados para as nossas necessidades, sejam residenciais ou industriais.

Os ventiladores, por exemplo, são os mais populares entre os brasileiros, ainda que nem sempre sejam a opção mais indicada. Além disso, há hoje uma popularização dos chamados climatizadores de ar, que estão caindo no gosto popular.

Contudo, muitos consumidores ainda têm dúvidas sobre o seu uso e funcionamento. Então, se este é o seu caso e você está indeciso entre optar pelo climatizador ou ventilador, este post é para você! Veja este comparativo e acabe com as suas dúvidas!

Afinal, quais são as diferenças entre o ventilador e o climatizador?

Essa é a primeira dúvida que surge quando o assunto é “climatizador ou ventilador”. Quem já viu os dois aparelhos, certamente notou que, fisicamente, eles apresentam características bastante distintas.

Contudo, os dois são bem parecidos em termos de funcionamento — tão parecidos que ousamos dizer que o climatizador é um ventilador melhorado. Vejamos, agora, algumas dessas diferenças entre eles:

Ventilador

O ventilador tem um funcionamento bastante simples. Devido ao formato das suas pás — ou hélices, como alguns preferem chamar — ele trabalha direcionando o ar. Assim, ao girar, as pás sofrem resistência do ar e têm que empurrá-lo, de forma que, dependo do seu ângulo, o ventilador consegue deslocar mais ar e ser mais eficiente.

Climatizador de ar

Existem diferentes tipos, mas, no geral, o funcionamento desse aparelho é semelhante ao ventilador, pois ele também possui pás em sua parte interna que direcionam o ar. Contudo, o que muda é o tratamento que esse ar recebe.

O climatizador trabalha com a utilização de água para diminuir a temperatura do ar. Em alguns modelos, existe um reservatório de água, no qual ela circula com auxílio de uma pequena bomba por um sistema que a faz evaporar.

Assim, o vapor se mistura ao ar, reduzindo sua temperatura e, em seguida, é expelido climatizando o ambiente.

Qual é o mais indicado?

Essa é uma pergunta cuja resposta depende da sua necessidade particular.

Como dissemos, os dois aparelhos têm praticamente a mesma função, mas apresentam algumas características distintas, como capacidade de melhorar a qualidade do ar, capacidade de resfriá-lo e variações no consumo de energia. E todos esses são fatores que podem definir a compra de um ou outro.

Ventilador

Em geral, são as opções mais baratas do mercado, e possuem uma grande variedade de modelos. Dependendo da potência do modelo escolhido, o aparelho consegue diminuir em até 3 graus a temperatura do ambiente.

No entanto, são bem limitados quando o quesito é área a ser climatizada. Justamente por isso, é importante que você opte por um que resolva a sua necessidade.

Os ventiladores de teto conseguem proporcionar um vento fresco a um número maior de pessoas do que os ventiladores de mesa, por exemplo. Também existem modelos que oscilam, abrangendo um espaço maior do que os fixos.

O ventilador encontra mesmo algumas limitações a depender da finalidade a que for aplicado. Em grandes ambientes (como indústrias e comércio), por exemplo, eles não conseguem promover um bom conforto térmico, e ainda podem espalhar poeira e disseminar gases e vapores.

Ainda assim, o aparelho tem as suas vantagens — não é à toa que ele ainda é um dos mais populares no mercado. Vejamos, então, algumas vantagens do ventilador:

Preço mais baixo

Essa é uma das grandes vantagens do ventilador. Como o seu funcionamento é bem simples, o aparelho acaba saindo muito mais em conta para o consumidor. Para se ter ideia do seu preço, ele costuma custar até 1/5 do valor de um bom climatizador.

Variedade de modelos

Outra vantagem dos ventiladores é grande variedade de marcas, modelos e tipos encontrados no mercado. E tal variedade afeta diretamente a questão do preço, já que mais empresas trabalham com a fabricação do produto, causando uma concorrência que acaba derrubando os preços.

Além disso, fica muito mais fácil encontrar um ventilador que se encaixe na necessidade do consumidor. Afinal, com diferentes tamanhos, preços e modelos, não precisa nem procurar muito para encontrar o que se deseja.

Menor consumo de energia

Ponto crucial na escolha de qualquer produto eletrônico, o consumo de energia do ventilador é outra das suas vantagens. É evidente que o gasto energético vai se alterar a depender do modelo e potência do ventilador, mas, em geral, ele costuma ser bem mais econômico do que outros aparelhos.

Agora, mesmo com essas vantagens, é preciso mencionar as desvantagens do ventilador, tais como:

Não consegue umidificar o ambiente

O ventilador não tem a capacidade de melhorar a qualidade do ar, deixando-o mais úmido e agradável. O que ele faz é apenas direcionar o ar para onde estiver apontado, da maneira como se encontra.

Possui muitas limitações

De fato, ele não é tão eficiente em dias de temperaturas bem altas, pois somente ameniza o calor, sem possuir nenhuma função para refrescar o ambiente.

Em áreas grandes, também acaba sendo necessário um grande número deles para conseguir um resultado satisfatório — o que nem sempre é viável em termos de custos.

Gera alguns incômodos

Dependendo da velocidade do aparelho, o vento gerado pode ser incômodo. Além disso, outros incômodos comuns são o barulho produzido, o ressecamento dos olhos, quando o vento vai direto no rosto e a disseminação de poeira.

Climatizador Evaporativo

O climatizador possui um funcionamento um pouco mais sofisticado que o ventilador, e ainda é mais eficiente. Por isso, além dos ambientes menores, ele é muito indicado também para grandes ambientes, como comércios e indústrias.

O climatizador evaporativo funciona basicamente da seguinte forma: o ar externo é forçado para dentro do ambiente por meio de uma colmeia de celulose molhada, que promove a redução da temperatura e a umidificação do ar.

Assim, ele é capaz, por exemplo, de reduzir a temperatura do local entre 10 e 12 graus — afinal, seu processo de resfriamento se dá por meio da evaporação da água a frio, capaz de renovar o ar do ambiente e ainda refrescá-lo e umidificá-lo.

Nesse sentido, algumas vantagens desse aparelho são:

Baixo consumo de energia

Com um gasto energético de cerca de 90% menor que o ar-condicionado, ele acaba sendo uma opção viável para grandes espaços, ou onde há um grande fluxo de pessoas que exigiria a instalação de muitos aparelhos.

Umidificação do ar

A capacidade de umidificação do ar melhora significativamente a sua qualidade, o que o torna muito indicado para regiões mais secas ou ambientes com baixa circulação de ar. Essa é sua principal característica — sendo, inclusive, o que o difere do ventilador.

Aliás, é importante mencionar que um ar mais úmido pode evitar diversos problemas respiratórios.

Renovação e filtragem do ar que entra no ambiente

Como os climatizadores, em geral, são posicionados de forma que a sua parte traseira fique fora do ambiente, há uma renovação constante do ar, que vem de fora, sendo climatizado antes de expelido no ambiente.

Baixo custo de manutenção

Ao longo do tempo, os climatizadores apresentam um baixo custo de manutenção, não sendo necessária muitas intervenções técnicas no aparelho, desde que seja utilizado corretamente. Haverá apenas a necessidade de substituição da colmeia de celulose, de tempos em tempos.

Em alguns modelos ainda é possível utilizar a água da chuva

Para otimizar ainda mais o consumo de recursos, alguns modelos têm a possibilidade de utilizar a água da chuva. E esse é um grande benefício, tanto em termos de economia de água e dinheiro quanto de sustentabilidade, já que facilita o reaproveitamento de água.

Não agride a camada de ozônio

Diferente do que acontece na utilização do ar-condicionado — especialmente os mais antigos — o climatizador não trabalha com nenhum tipo de gás refrigerante que agride a camada de ozônio.

É de fácil instalação

Também não é necessário promover o isolamento do ambiente, como ocorre com o ar-condicionado. Isso porque o climatizador pode ser instalado em qualquer ambiente, aberto ou fechado, sem necessidade de grandes adaptações.

Conforto térmico

Em ambientes industriais e comerciais, eles ainda garantem o bem-estar dos funcionários, proporcionando um ótimo conforto térmico. Além disso, também elimina os problemas de insalubridade causados pela suspensão de poeira, evitando problemas respiratórios.

De fato, são muitas vantagens. Mesmo assim, ainda vale ressaltar algumas de suas desvantagens:

Baixa eficiência em regiões muito úmidas

Como o aparelho funciona a partir da umidificação do ar, o climatizador não é o mais indicado em localidades cujo ar já é úmido.

Não é indicado para locais que necessitam operar com temperaturas muito baixas

Se a demanda é por um local extremamente frio, o climatizador também não é muito indicado, pois possui limitações na sua capacidade de resfriamento — em média, ele consegue resfriar de 10 a 12 graus.

Enfim, gostou do post? Ainda tem dúvidas se o ideal para o seu caso é o uso do climatizador ou ventilador? Então aproveite para conversar com um dos nossos consultores e descubra como tornar o seu ambiente muito mais agradável com a opção adequada para as suas necessidades!

Um comentário em “(ESTENDER + 1000) Climatizador ou ventilador? Qual a melhor opção?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *