O verão no Brasil é maravilhoso, porém tem altas temperaturas!

O que é ótimo, para quem pode aproveitar todas as belezas naturais que ele oferece nesta época do ano.

Entretanto, para aqueles que estão trabalhando durante os períodos do ano mais quentes, existem duas soluções indispensáveis: ar-condicionado e climatizador.

A principal vantagem desses dois equipamentos é que eles podem tornar os ambientes muito mais confortáveis, especialmente nos locais de trabalho.

Contudo, apesar de ambos terem função de aumentar o bem-estar das pessoas, existem algumas características que os diferencia e torna cada um deles mais adequado a locais específicos e diferentes situações.

Por essa razão, separamos oito diferenças entre ar-condicionado e climatizador para te ajudar a tirar suas próprias conclusões, e fazer sua escolha!

1. Funcionamento

Sistema climatizador de ar

O sistema climatizador resfria o ar devido a um processo de evaporação de água a frio.

Ele faz isso ao mesmo tempo que renova o ar do ambiente.

No sistema, há uma espécie de “colmeia”, chamada de placa evaporativa, feita de celulose — que é umidificada com água constantemente.

Para isso, há um reservatório de água no sistema onde acoplado a ele existe uma bomba que lança água na colméia para que ela fique umidificada.

Ao mesmo tempo, existe um ventilador que puxa o ar exterior.

Esse ar passa por dentro da colmeia de celulose, perdendo temperatura e ganhando umidade.

Outro ponto importante é a constante renovação do ar, já que o equipamento trabalha com pressão positiva.

Sistema de ar-condicionado

O sistema utiliza um fluido refrigerante que captura o calor do ar.

Uma parte do aparato fica do lado de dentro e a outra do lado de fora do local onde está instalado.

O ar-condicionado resfria o ar utilizando serpentinas, que são preenchidas com líquido refrigerante.

Além disso, também é composto de dutos, os quais transportam o ar de um lugar para outro no sistema.

O ar quente é pressionado sobre as serpentinas, e o fluido passa do estado líquido para o gasoso, absorvendo grande quantidade de calor.

Quando retorna ao estado líquido, libera o calor novamente.

O calor extra produzido pela compressão do gás é então evacuado para o lado exterior, enquanto o ar fresco é enviado para dentro do ambiente.

Ou seja, basicamente o ar-condicionado retira o calor de um local e o leva para outro. Porém, ele também desloca a umidade do ar.

2. Ambiente e localização

Cada um deles apresenta desempenho diferente, de acordo com as condições ambientais, principalmente em relação à umidade relativa do ar.

Em locais quentes e com umidade relativa do ar de média a baixa (como o Centro-Oeste do país), o sistema mais indicado é o climatizador de ar.

Além de resfriar a temperatura do ambiente, ele também umidifica o ar pelo fato de o sistema ser menos eficiente em locais com alta umidade relativa do ar.

Já em cidades costeiras, devido ao desconforto ocasionado por altas temperaturas, bem como ao alto nível de umidade — como é o caso da Região Norte do Brasil —, faz mais sentido o uso do ar-condicionado, pois ele retira parte da umidade do ar.

3. Controle da temperatura

Devido ao fluido refrigerante, a maioria dos sistemas de ar-condicionado é capaz de reduzir a temperatura de um ambiente a aproximadamente 16°C.

Apesar de não utilizar esse fluido durante o seu funcionamento, o sistema climatizador de ar torna a temperatura ambiente tão agradável quanto o ar-condicionado: sua redução na temperatura ambiente pode chegar a 12°C.

Entretanto, um ambiente com temperatura de 23°C é suficientemente confortável para que uma pessoa trabalhe ou desenvolva outras atividades satisfatoriamente.

Somado a isso, o corpo humano tem temperatura ambiente mínima ideal de 18°C para que desempenhe suas funções de forma adequada.

Temperaturas abaixo disso levam a mal-estar e desconforto, pois o organismo começa a se defender da perda de calor excessiva, ou seja, do frio.

4. Eficiência energética

O sistema de climatização evaporativa de ar consome uma quantidade de energia até 90% menor que um ar-condicionado equivalente, o que pode ser um grande diferencial na conta de luz.

O processo de climatização precisa de pouca energia para criar ar fresco, pois as únicas peças mecânicas são um ventilador e a bomba de água.

Já o ar-condicionador possui mais peças mecânicas, que portanto requerem mais energia para operar: dois ventiladores, compressor e serpentinas.

O climatizador de ar também é mais sustentável em comparação com o sistema de ar-condicionado.

Este, assim como outros sistemas de refrigeração, utiliza CFCs — clorofluorcarbonetos —, substâncias que destroem a camada de ozônio, embora hoje existam tecnologias mais avançadas, capazes de tornar o sistema de ar-condicionado mais ambientalmente amigável.

5. Manutenção

O climatizador de ar exige pouca manutenção geral, sendo que a limpeza básica do sistema e o seu desligamento correto são os principais fatores determinantes de seu desempenho e vida útil.

Os sistemas de refrigeração tradicionais também exigem limpeza regular do filtro de ar para garantir que funcionem com máxima eficiência.

No entanto, geralmente precisam de assistência técnica especializada, uma vez que são compostos de um sistema mais complexo, com substâncias químicas (fluido refrigerante), serpentinas e compressor, os quais podem precisar de substituição.

6. Fechamento do ambiente

Para fazer a instalação do sistema climatizador não é necessário fechar o ambiente, permitindo ter um local mais arejado e com iluminação natural.

Já o ar-condicionado exige que o local seja totalmente vedado para garantir a eficiência de seu funcionamento.

7. Saúde

A umidade e a constante renovação de ar que o sistema climatizador de ar adiciona ao ambiente traz benefícios à saúde das pessoas presentes, pois evita o ressecamento da pele, dos olhos e das vias respiratórias.

Isso ajuda a prevenir doenças alérgicas, como dermatite, conjuntivite e rinite, além de evitar o agravamento de outras doenças respiratórias, como asma e bronquite.

Já o ar-condicionado remove a umidade do ar, o que pode causar ressecamento dos órgãos citados.

Portanto, para aqueles que sofrem de problemas respiratórios e/ou alergias, o resfriamento evaporativo do ar é o tipo de sistema mais indicado.

Como você pôde ver, ar-condicionado e climatizador são dois sistemas distintos, que podem ser mais funcionais e efetivos considerando-se as diferenças citadas neste post.

Por isso, para escolher entre eles, você deve refletir sobre o ambiente onde deseja instalar, e os custos e benefícios para a sua saúde e das pessoas que frequentam, este ambiente.

Conte com a Climabrisa na hora de adquirir o equipamento que vai deixar seus ambientes termicamente  mais confortáveis.

Aproveite e confira este material completo, e entenda definitivamente tudo sobre a Climatização de Ambientes!

Veja as 7 principais diferenças entre ar-condicionado e climatizador

3 Comentários em “Veja as 7 principais diferenças entre ar-condicionado e climatizador”

  1. Boa noite ,tenho duvidas de climatizador ou ar condicionado,moro na praia sul da bahía e tenho um quarto de 12 metros cuadrados sem ventilaçao nenhuma e o vapor do ar é quente e abafado gostaria de ter un climatizador más tenho duvidas por causa da umidade . Poderia me ajudar?

    1. Olá Elisa, tudo bom?

      Os climatizadores evaporativos, funcionam em locais com altas temperaturas, porém é necessário um equipamento com fluxo de ar maior para garantir uma boa climatização. Outra dica, seria a preferencia por climatizadores evaporativos modelo parede que permitem melhor eficiência

      Para o seu ambiente eu recomento o modelo https://www.climabrisa.com.br/produto/climatizador-climabrisa-inox-35;

      No seu e-mail já mandeu um comparativo entre ar condicionado vs climatizador evaporativo

      Espero ter ajudado, até uma próxima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *